A Crise Ajudou Bem como Pela Alternativa Do Destino?

27 Nov 2018 04:42
Tags

Back to list of posts

[[image http://4.bp.blogspot.com/-Y3NW-5Fa6lk/U4QbfEykGHI/AAAAAAAAABc/x92ldgnWekI/s1600/socialmedia2.png"/>

<h1>Rio Sediar&aacute; Encontro Nacional De Mulheres Viajantes O Dia</h1>

<p>6 Viola&ccedil;&atilde;o das regras do Wikipedia? 10 Somente uma ligeira an&aacute;lise. Foi decidido na vota&ccedil;&atilde;o que necessita ter um tema com o intuito de lembrar que Portugal &eacute; uma rep&uacute;blica entretanto inexist&ecirc;ncia definir o texto deste tema que pode ser at&eacute; um an&atilde;o paragrafo no inicio do verbete. Aguardo a opini&atilde;o dos interessados.</p>

<p>Isso est&aacute; l&aacute; referido. A Moradia de Bragan&ccedil;a foi a mais essencial do Reino de Portugal. A princ&iacute;pio Ducal, a Moradia viria a reinar em Portugal depois da restaura&ccedil;&atilde;o da autonomia em 1 de Dezembro de 1640. Com a coloca&ccedil;&atilde;o da Rep&uacute;blica em Portugal, a Casa Real de Bragan&ccedil;a foi extinta. No entanto de imediato reformulei (o texto que acrescentei est&aacute; a negrito): A Moradia de Bragan&ccedil;a foi a mais primordial do Reino de Portugal. Primeiramente Ducal, a Casa viria a reinar em Portugal ap&oacute;s a restaura&ccedil;&atilde;o da independ&ecirc;ncia em um de Dezembro de 1640. Com a implanta&ccedil;&atilde;o da Rep&uacute;blica em Portugal, que se mant&eacute;m at&eacute; hoje, a Resid&ecirc;ncia Real de Bragan&ccedil;a foi extinta.</p>

<p>Sou grato. Pcjrm (conversa) 21h18min de 31 de Julho de 2008 (UTC) Acho que o que foi extinto n&atilde;o &eacute; a moradia real, entretanto sim o governo mon&aacute;rquico. A &quot;casa real&quot; (ou simplesmente &quot;fam&iacute;lia&quot;, se preferir) existe at&eacute; hoje, seja por descendentes diretos, indiretos ou alegadamente diretos. 14h32min de um de Agosto de 2008 (UTC) Isso est&aacute; referido, Com a implanta&ccedil;&atilde;o da Rep&uacute;blica em Portugal, que se mant&eacute;m at&eacute; hoje, a Moradia Real de Bragan&ccedil;a foi sentenciada extinta. Eu me interesso sobre isso D.Manuel, n&atilde;o sabia que existe essa pergunta sobre o assunto Bragan&ccedil;a e Bragan&ccedil;a-Wettin. Por aqui no Brasil tamb&eacute;m tem descendentes de D.Pedro II, e quando do plebiscito a respeito regime de governo Monarquia ou Rep&uacute;blica, Presidencialismo ou Parlamentarismo, estes &quot;herdeiros de D.Pedro II&quot; fizeram muito barulho, mas, &eacute; claro, voc&ecirc;s sabem, obteve R&eacute;publica e Presidencialismo.</p>
<ul>

<li>Doze Itarana 12.Um Resposta do Jo Lorib</li>

<li>22: Quais seus planos com finalidade de hoje a noite</li>

<li>Valeria argumentou: 24/07/doze &aacute;s 13:Trinta e tr&ecirc;s</li>

<li>Ericatarina (discuss&atilde;o) 15h53min de quatro de maio de 2015 (UTC)</li>

<li>Di&aacute;rios Oficiais</li>

<li>1- Disciplina &eacute; fundamental</li>

<li>Estrutura dos artigos</li>

</ul>

<p>Sou novo na Wiki e nunca participei de vota&ccedil;&atilde;o nenhuma mas como vi a discuss&atilde;o anterior &agrave; constitui&ccedil;&atilde;o desta discuss&atilde;o, suporte essa iniciativa. S&oacute; n&atilde;o entendo como ajudar. Caros Wikipedistas, cortei muitas “preten&ccedil;&otilde;es” e ”auto-denomina&ccedil;&otilde;es” (a meu acompanhar um pouco tendenciosas) em liga&ccedil;&atilde;o a D. Duarte Pio de Bragan&ccedil;a. Evidentemente, para a Rep&uacute;blica, nenhum dos t&iacute;tulos nobili&aacute;rquicos existe, no entanto o Senhor D. Duarte n&atilde;o “reivindica” ser Duque de Bragan&ccedil;a, nem ao menos se “auto-denomina” Pr&iacute;ncipe da Beira; estes t&iacute;tulos s&atilde;o-lhe reconhecidos pelas corpora&ccedil;&otilde;es mon&aacute;rquicas!</p>

<p>Chamar “rainha-deposta” &agrave; D. Am&eacute;lia &eacute; simplesmente um defeito, pelo descomplicado facto que nunca reinou. Poderemos identific&aacute;-la como “rainha-vi&uacute;va”, se nos referirmos a D. Carlos, ou como “rainha-m&atilde;e” em liga&ccedil;&atilde;o a D. Manuel II, esse sim rei-deposto. Sejamos factuais independentemente das nossas simpatias. Caro usu&aacute;rio, foi decidido pela comunidade, em Wikipedia:Vota&ccedil;&otilde;es/Pergunta din&aacute;stica portuguesa e em Wikipedia:Pedidos de posi&ccedil;&atilde;o/Charada din&aacute;stica portuguesa, que os t&iacute;tulos sejam referidos como reivindicados, independentemente de serem conhecidos pelas organiza&ccedil;&otilde;es mon&aacute;rquicas. E assim como este referiu, Portugal &eacute; uma Rep&uacute;blica, logo os t&iacute;tulos precisam ser referidos como reivindicados. Por&eacute;m n&atilde;o poderei aceitar que se refira D. Duarte como &quot;auto-denominado&quot; Pr&iacute;ncipe da Beira! Cumprimentos Espadeiro (conversa) 09h54min de 5 de Agosto de 2008 (UTC) Compreendo e o Tonyjeff prontamente tratou de variar de modo a continuar tudo bem.</p>

<p>Pcjrm (conversa) 11h18min de cinco de Agosto de 2008 (UTC) Caros Utilizadores, acho que est&aacute; bem neste instante, imagino que &quot;pretendente ao t&iacute;tulo&quot; de pr&iacute;ncipe da Beira pode ser uma ocorr&ecirc;ncia de consenso. Srs administradores &eacute; preciso rever a falsa ideia de que Duarte Pio goza de reoconhecimento do Estado Portugu&ecirc;s. Nuno da Camara Pereira pergunta din&aacute;stica.</p>

<p>Caro, os websites que retrata n&atilde;o t&ecirc;m cada validade. R&uacute;ssia, onde a Fam&iacute;lia Imperial foi fisicamente eliminada (mas subsistem parentes colaterais). Entretanto transmite esse correto! N&atilde;o ocorre frequentemente pessoas herdarem directamente de av&oacute;s (a partir de pais falecidos!), de irm&atilde;os, de tios? D. Sebasti&atilde;o herdou o trono do av&ocirc;; D. Henrique herdou do sobrinho-neto; D. Manuel I de um primo!</p>

<p>H&aacute; afirma&ccedil;&otilde;es que evidenciam n&atilde;o dominar as regras da sucess&atilde;o din&aacute;stica! Henrique IV, de Fran&ccedil;a, herdou de um primo afastado, por ser o seguinte na linha da sucess&atilde;o (com a Lei S&aacute;lica) atrav&eacute;s da tua descend&ecirc;ncia de S&atilde;o Luis! N&atilde;o h&aacute; qualquer indecis&atilde;o de que, a haver Monarquia em Portugal, os direitos recaem na pessoa do Senhor D. Duarte Pio de Bragan&ccedil;a, reconhecido pelos mon&aacute;rquicos portugueses e por todas as Casas Reais da Europa.</p>

<p>E se quer alegar algo, apresente fontes cred&iacute;veis, e n&atilde;o sites e websites de propaganda pol&iacute;tica. Fa&ccedil;o minhas as express&atilde;o do Tonyjeff e do Espadeiro. O Sr. Bragan&ccedil;a, n&atilde;o tem ponta por onde se lhe pegue na d&uacute;vida da sucess&atilde;o din&aacute;stica e n&atilde;o tente atirar areia nos olhos das pessoas. No entanto h&aacute; mais Duarte Nuno era primo em 6&ordm; grau de D. Manuel II, por em t&atilde;o alto grau h&aacute; face da lei nem ao menos era parente, tinha em sua frente sem descrever com SAR. D. Maria Pia nada mais nada menos que trinta e seis primos e seis tias.</p>

<p>Se se atender &agrave; alega&ccedil;&atilde;o falaciosa de Augusto Ferreira do Amaral, ainda portanto os direitos iriam recair a respeito da tia de Duarte Pio D. Adelaide Van Uden e nunca sobre Duarte Pio. Mais o Sr. Duarte de Bragan&ccedil;a incorporou-se volunt&aacute;riamente na Pot&ecirc;ncia A&eacute;rea portuguesa tendo jurado volunt&aacute;riamente bandeira, ao contr&aacute;rio de alguns monarquicos que tendo servido o exercito recusaram jurar bandeira, alguns deles colegas do Sr. Bragan&ccedil;a dos Pupilos do Exercito. Ao jurar bandeira jurou respeitar a constitui&ccedil;&atilde;o, se tornou um cidad&atilde;o comum sem quaisquer direitos din&aacute;sticos. Cumprimentos reifazdeconta (conversa) 09h44min de um de Setembro de 2008 (UTC) Caro senhor, N&atilde;o aspiro entrar em confrontos directos, muito menos nestes temos.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License